Casamento / Alimentação Kosher: o que é e quais os cuidados mais importantes?

Alimentação Kosher: o que é e quais os cuidados mais importantes?

Alimentação kosher

Ao nos alimentarmos, ao mesmo tempo que sentimos prazer por suprir uma necessidade fisiológica, sentimos gostos e texturas que ficam marcados para sempre em nossas mentes. Para algumas pessoas, a relação com os alimentos também é uma maneira de se conectar às tradições, como é o caso dos judeus com a alimentação Kosher.

O termo Kosher ou Kasher significa “próprio para consumo”, ou seja, todos eles devem ser cultivados, preparados e também ingeridos de acordo com as regras descritas na Cashrut, que são leis que definem a alimentação do povo judeu e que tem como base os ensinamentos da Torá, o livro sagrado da religião.

Além disso, a alimentação Kosher é conhecida como uma das maneiras mais seguras e saudáveis do mundo. Isso acontece pois todos alimentos precisam passar por uma inspeção rigorosa e também não permite que muitos agrotóxicos e hormônios sejam utilizados em vegetais, frutas e animais.

Os alimentos que são reprovados nesse controle de qualidade são conhecidos como Taref, ou seja não é própria para o consumo do povo judeu. Para evitar a ingestão de alimentos impróprios, todo alimento Kosher vem com um selo que indica sua procedência.

Como é feita a certificação do produto próprio para a alimentação Kosher?

O selo Kosher é um certificado que foi pensado para que os produtos, principalmente os industrializados, pudessem ser reconhecidos pela comunidade judaica e então serem consumidos sem ferir as tradições da religião.

Para ganhar esse selo, o alimento precisa ser passar por uma série de processos feito por um Rabino que deve atestar se aquele alimento passou por processos industriais ou de cultivo que estão de acordo com as leis da dieta judaica ortodoxa.

O primeiro passo para a certificação é a pesquisa das matérias-primas e coleta de informações de todo o processo de beneficiamento e fabricação, por isso, é comum que também ocorra testes para detectar traços suínos nos alimentos.

Esse primeiro processo é feito à distância, o Rabino então faz uma visita à fábrica e fiscaliza todos os processos pessoalmente. Então ele pode ou não conceder o certificado para que o alimento seja considerado Kosher, que tem a validade de um ano. Após esse período, o certificado deve ser renovado e o alimento deverá passar por todo esse processo novamente.

Existem receitas exclusivas para a alimentação Kosher?

Receita para alimentação kosher

Essa é uma pergunta bastante comum, porém, ao contrário das cozinhas italianas, francesas e de outras culturas, a alimentação Kosher ou Kasher não é um tipo de culinária, mas sim um modo de preparo. Ou seja, qualquer alimento, independente da nacionalidade, pode ser Kosher se for preparado de maneira com as leis da Cashrut.

Porém, como aproximadamente 41% de toda população judaica se encontra em Israel, alguns pratos desse país são confundidos e considerados culinária Kosher. Por isso, é comum encontrar informações de que o cardápio Kosher é constituído por alimentos utilizados na culinária dessa região.

Como exemplos, podemos citar:

  • Tâmara;
  • Grão de bico;
  • Mel;
  • Especiarias mediterrâneas;
  • Favas;
  • Gordura de galinha;
  • Frutas secas;
  • Ervas;
  • Grãos;
  • Alcachofra;
  • Beringela;
  • Azeitonas;
  • Peixes;
  • Oleaginosas.

Os cuidados na alimentação Kosher

Como falamos, a alimentação Kosher é um meio de preparar as comidas e não propriamente um cardápio. E cada alimento possui uma regra que define se ele pode ou não ser consumido pelo povo judeu.

Vinho 

Primeiramente vamos falar do vinho que é uma bebida muito importante para o judaísmo, pois ele simboliza a alegria e está presente em celebrações e festas. E assim como as comidas, ele também precisa passar pela certificação Kosher.

E o cuidado vem desde a terra em que as uvas são cultivadas, até os produtos que são utilizados: os vinhedos devem ser cultivados apenas com adubo orgânico e todo processo deve ser feito manualmente por judeus até o recebimento do selo Kosher.

A bebida deve ser produzida somente com frutas com mais de 4 anos, porém as parreiras devem descansar por 7 safras. Ou seja, os vinhos só devem ser feitos com uvas de videiras com mais de 7 anos.

Já no processo de produção, qualquer fruta que não esteja em perfeitas condições devem ser descartadas e não devem ser prensadas da maneira tradicional e artesanal com os pés. Além disso, os indutores de fermentação são proibidos e os vinhos devem ser armazenados em barris de madeira.

Carne branca na alimentação Kosher

carne branca na alimentação kosher

A carne, independente do tipo, deve passar pelo processo de casherização, que consiste em ser lavada até que todo sangue seja eliminado. Além disso, os animais abatidos não podem estar doentes, com feridas ou com suspeita de algum mal. 

Somente animais saudáveis são abatidos de maneira instantânea por um processo conhecido como Shechita, evitando assim o sofrimento desnecessário do animal, que é algo que os judeus evitam.

Apesar disso, não são todas as carnes que podem ser consumidas. Por exemplo, com relação aos peixes, somente os que contém escamas e barbatanas como atum, arenque e salmão podem ser consumidos

As aves também possuem restrições. As de rapina não devem ser consumidas, por outro lado, frango, peru, ganso e pato são permitidos.

Carne vermelha na alimentação Kosher

Carne vermelha na alimentação Kosher

A carne vermelha também passa por esse processo de abatimento instantâneo e casherização.

De acordo com a Cashrut, somente animais com cascos fendidos e ruminantes são próprios para o consumo dos judeus (após a certificação), ou seja: gado, ovelha, cabra, vitela, gazela entre outros.

A carne que passa por todas as certificações e está de acordo com o mais alto nível de qualidade é considerada Glatt Kosher e pronta para ser consumida.

Leite e laticínios

Mesmo os produtos derivados de animais, como leite, queijo, iogurte e manteiga só devem ser consumidos com a certificação Kosher, que verifica todo o processo, desde a ordenha até o envase, pois até receber o selo, eles precisam respeitar uma série de regras.

Para se tornar um leite Cholov ou laticínio Chalavi (próprio para consumo), primeiramente o leite não deve ter contato com carne, já que, pela Cashrut é proibido misturar os dois alimentos em um único prato ou refeição.

Além disso, é proibido utilizar aditivos que não sejam de fontes Kosher ou gordura animal.

Os alimentos parve

alimentos parve na alimentação kosher

Além desses alimentos, também existem os alimentos parve, que são considerados neutros e não possuem restrições além da necessidade de serem atestados como Kosher. Desse grupo fazem parte as frutas, grãos, legumes, hortaliças, ovos, cereais, pães e macarrão.

Somente o ovo possui uma restrição maior, já que não pode ser consumido se houver sangue. A presença dele indica que houve fecundação e então vida. Por isso ele deixa de ser considerado parve.

Assim como as uvas do vinho, os alimentos devem ser cultivados em solo Kosher e em cultura exclusiva, ou seja, um agricultor que planta uvas, não deve cultivar maçã ou outro produto.

Proibições na alimentação Kosher

Uma das maiores proibições na alimentação Kosher é misturar carne e laticínios. Mesmo os talheres, panelas e vasilhas que são utilizados para a preparação de um, não devem ser utilizados em outro prato. 

Para consumir leite após a ingestão de carne, deve-se esperar 6 horas após o fim da refeição. Já, para comer carne após a ingestão de leite, deve-se esperar uma hora e é necessário enxaguar a boca ou comer pão e tomar água.

Outras proibições são:

  • Carnes como coelho, cavalo e porco;
  • Sebos de animais;
  • Aves de rapina ou outras que se alimentam de animais;
  • Moluscos, lagosta, caranguejo, mexilhão, camarão;
  • Insetos;

Aqui no Buffet Tulipas sabemos que a alimentação Kosher é importante para a comunidade judaica em qualquer situação, até mesmo em celebrações e festas judaicas. Por isso, para atendê-los, contamos com um serviço de consultoria que já dura mais de 12 anos com o Rabino Raphael Hakuk, reconhecido na comunidade judaica e conhece todas as tradições religiosas, possibilitando que nosso Buffet sempre entregue um resultado de acordo com a Cashrut.

Ainda está com alguma dúvida com relação à alimentação Kosher? Deixe seu comentário aqui e compartilhe conosco sua pergunta, nossa equipe vai atendê-lo em breve!

 

0 respostas

Deixe uma resposta

Quer entrar na discussão?
Sinta-se livre para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *